sexta-feira

...



O que eu procuro? Não sei. Estou em constante luta, entre um “eu” e um “tu”, uma agonia imutável que me deixa de rastos, não sei, juro que não sei de mim nem de ti, perdi-me, perdi-nos. Não sei viver sem ti nem contigo, não te sei amar mas também não sei não gostar de ti, apenas sei que isto não é aquilo que pretendo, mas que só assim posso ter alguma coisa do que quero, ou penso que quero, pois contigo ou é tudo ou nada. Noite ou dia, frio ou quente, neve ou sol, tu és assim ou oito ou oitenta, e eu não sou assim, eu pondero, eu não me dou por completo, mas sim aos poucos, eu não sofro com facilidade, eu faço sofrer facilmente, eu não perdoo, deixo tudo meio à deriva, procuro justificações mas não as dou, eu amo pela metade, ou talvez nem ame, sim é isso eu não amo, eu necessito, pela metade, eu não choro, mas também não estou constantemente a sorrir, eu questiono vezes e vezes sem conta, tudo, e percebo sempre que eu não sei de mim, nem sei do mundo. Eu sou eu tão e unicamente eu, num total sentido da palavra, sem aspas ou reticências, sou complicada, mesquinha, invejosa, sou difícil, sou (in)completa, sou (in)consciente, sou vingativa, sou cruel, sou fria, sou irritante, sou sincera, mas também sei ser amável, sou uma alma perdida num vasto manto azul e verde, uma alma que não se encontra nem faz por se encontrar. Eu gosto de mim, gosto muito de mim, e foi uma tarefa complicada conquistar-me, mas apercebi-me que só assim posso proteger-me das outras pessoas, sim, de ti também, aliás, de ti principalmente! Mas parece que ainda não passei de uma mera aprendiz, bem porque não me consigo “desprender” de ti, eu necessito-te mas não te amo, tu amas-me, tu queres-me a teu lado, e mais uma vez lá estás tu no “tudo” e eu no “meio-termo”.
Nunca te ensinaram que é feio prender as asas de alguém só porque temos medo que esse alguém queira ser livre e voe para longe de nós? Larga o meu coração, deixa-o vir comigo, deixa-o flutuar comigo nas águas cristalinas do oceano, deixa-me ser livre, pois sem ele eu não tenho a capacidade de tomar uma decisão de mim para mim. Não me vou encontrar, nem te deixarei encontras-te.

47 comentários:

  1. ainda bem que gostaste :)

    « Não sei viver sem ti nem contigo, não te sei amar mas também não sei não gostar de ti,» - amei esta frase $:

    compreendo o sentido do texto: é como se nada quisesse contigo mas ao mesmo tempo não te deixasse ir x:

    muita força!

    ResponderExcluir
  2. obrigada !
    adorei o texto, identifico-me bastante

    ResponderExcluir
  3. Não discuto isso, cada um tem o seu clube. :)
    Para mim, o Benfica será sempre o Melhor do Mundo. :)

    ResponderExcluir
  4. Também eu.
    É pena, mas vão haver outras oportunidades. Eles já vieram cá antes.

    ResponderExcluir
  5. Adorei o post :o
    quando o coração deixa de pertencer a alguém, esse alguém deve soltá-lo, deixá-lo seguir o seu caminho; prendê-lo não é solução :s Penso que é uma questão de tempo até voltares a ter o teu coração de novo cheio de liberdade, a navegar por aí ao sabor do vento :)

    ResponderExcluir
  6. ainda bem que gostaste Joana :D beijinhos e bom dia !

    ResponderExcluir
  7. eu adoro tudo o que escreves, adoro mesmoooo!

    ResponderExcluir
  8. é verdade, já teve melhores dias. =/

    ResponderExcluir
  9. obrigado, gostei do post, força nisso :)

    ResponderExcluir
  10. gostei imenso, vou seguir também :)

    ResponderExcluir
  11. oh joana, muito obrigada :) a sério * o teu blog é muito fofinho :p

    ResponderExcluir
  12. atão, essa pessoa ainda não veio ter cmg

    ResponderExcluir
  13. obrigada, e adorei o teu texto! (:

    ResponderExcluir
  14. parece que sim :$
    gostei imenso deste texto , identifico-me bastante em alguns aspectos :)

    ResponderExcluir
  15. folgo em sabê-lo e agradeço :) sentido está mesmo muito*

    ResponderExcluir
  16. Obrigada ^^
    Também sigo o teu :)

    *

    ResponderExcluir
  17. obrigada minha querida, o teu também está muito lindo, *-*

    ResponderExcluir
  18. adorei, está muito bom este texto.

    ResponderExcluir
  19. o tempo ajuda a que o nosso coração volte a pertencer-nos, apesar de que jamais iremos recuperar o que deixamos com a outra pessoa.

    ResponderExcluir
  20. oh, obrigada :$
    ainda bem que gostas (:

    ResponderExcluir
  21. escreves muito bem mesmo !
    tem força !

    ResponderExcluir
  22. eu mais ou menos , não encontrei uma fotografia que me chamasse mais a atenção que esta .

    ResponderExcluir
  23. tens um dom de escrever rapariga (:

    ResponderExcluir
  24. LINDA é a forma como escreves!

    ResponderExcluir

A arte de expressar é uma arte sem pés nem cabeça, mas com todo o sentido do mundo. Por isso, expressa-te. :)